Arquivo da categoria: Conversando Fiado

2 Anos do Blog

      Dois anos atrás lancei esse blog, eu estava procurando um emprego na web e precisava formar um portfolio, alem de claro tem um lugar para testar minhas habilidade em php. Essa onda durou muito pouco, nesse processo de remodelagem da minha carreira passei a incorporar ao Entre um Byte e Outro, cada vez mais informações paralelas, como os tutoriais de Arduino, informações sobre astronomia, ou papo furado mesmo.

     No final das contas o que me deixa mais contente e que mesmo sendo um blog tão pessoal, ele vem ganhando visitantes constantemente, o que me leva a crer que há publico para minhas idéias (perigoso isso pessoal, vocês não deviam me dar essa esperança . muhahhaha). Em 2011 o site passou por uma nova virada e passou a incorporar temas da área de Engenharia Mecânica, curso que iniciei em jan/2011. E novamente houve um crescimento de visitações.

        Esse Post e para agradecer as visitas, pois sem elas com certeza eu não teria animo para manter esse blog. E prometer que ainda tem muito mais, como não sou de comemorar muito meu aniversário, somente posso dizer uma coisa, abram um Brahma, e um brinde e que as mulheres não morram viúvas… \o/

Até logo!

A fábula dos porcos assados

Li esses dias no Aldeia Numa Boa, um site que gosto muito, a fábula dos porcos assados, reescrita de cabeça por um dos leitores. Achei interessantíssimo e fui buscar um tradução integral. Abaixo vocês podem ver o texto integral.

A Fábula dos Porcos Assados

 

 

Certa vez, aconteceu um incêndio num bosque onde havia alguns porcos, que foram assados pelo fogo. Os homens, acostumados a comer carne crua, experimentaram e acharam deliciosa a carne assada. A partir daí, toda vez que queriam comer porco assado, incendiavam um bosque… até que descobriram um novo método.

Mas o que vamos contar é o que aconteceu quando tentaram mudar o SISTEMA para implantar um novo.

Fazia tempo que as coisas não iam lá muito bem: às vezes os animais ficavam queimados demais ou parcialmente crus.

O processo preocupava muito a todos, porque se o SISTEMA falhava, as perdas ocasionadas eram muito grandes – milhões eram os que se alimentavam de carne assada e também milhões os que se ocupavam com a tarefa de assá-los.

Portanto, o SISTEMA simplesmente não podia falhar. Mas, curiosamente, quando mais crescia a escala do processo, tanto mais parecia falhar e tanto maiores eram as perdas causadas.

Em razão das inúmeras deficiências, aumentavam as queixas. Já era um clamor geral a necessidade de reformar profundamente o SISTEMA. Congressos, seminários, conferências passaram a ser realizados anualmente para buscar uma solução. Mas parece que não acertavam o melhoramento do mecanismo. Assim, no ano seguinte repetiam-se os congressos, seminários, conferências.

As causas do fracasso do SISTEMA, segundo os especialistas, eram atribuídas à indisciplina dos porcos, que não permaneciam onde deveriam, ou à inconstante natureza do fogo, tão difícil de controlar, ou ainda às árvores, excessivamente verdes, ou à umidade da terra, ou ao serviço de informações meteorológicas, que não acertava o lugar, o momento e a quantidade das chuvas…

As causas eram, como se vê, difíceis de determinar. Na verdade, o sistema para assar porcos era muito complexo. Fora montada uma grande estrutura: maquinário diversificado; indivíduos dedicados exclusivamente a acender o fogo – incendiadores que eram também especializados (incendiadores da Zona Norte, da Zona Oeste, etc., incendiadores noturnos e diurnos – com especialização e matutino e vespertino – incendiador de verão, de inverno, etc.). Havia especialista também em ventos – os anemotécnicos. Havia um Diretor Geral de Assamento e Alimentação Assada, um Diretor de Técnicas Ígneas (com seu Conselho Geral de Assessores), um Administrador Geral de Reflorestamento, uma Comissão de Treinamento Profissional em Porcologia, um Instituto Superior de Cultura e Técnicas Alimentícias (ISCUTA) e o Bureau Orientador de Reforma Igneooperativas.

Havia sido projetada e encontrava-se em plena atividade a formação de bosques e selvas, de acordo com as mais recentes técnicas de implantação – utilizando-se regiões de baixa umidade e onde os ventos não soprariam mais que três horas seguidas.

Eram milhões de pessoas trabalhando na preparação dos bosques, que logo seriam incendiados. Havia especialistas estrangeiros estudando a importação das melhores árvores e sementes, fogo mais potente, etc. Havia grandes instalações para manter os porcos antes do incêndio, além de mecanismos para deixá-los sair apenas no momento oportuno.

Foram formados professores especializados na construção dessas instalações. Pesquisadores trabalhavam para as universidades para que os professores especializados na construção das instalações para porcos; fundações apoiavam os pesquisadores que trabalhavam para as universidades que preparavam os professores especializados na construção das instalações para porcos, etc.

As soluções que os congressos sugeriam eram, por exemplo, aplicar triangularmente o fogo depois de atingida determinada velocidade do vento, soltar os porcos 15 minutos antes que o incêndio médio da floresta atingisse 47 graus, posicionar ventiladores-gigantes em direção oposta à do vento, de forma a direcionar o fogo, etc. Não é preciso dizer que os poucos especialistas estavam de acordo entre si, e que cada um embasava suas idéias em dados e pesquisas específicos.

Um dia, um incendiador categoria AB/SODM-VCH (ou seja, um acendedor de bosques especializado em sudoeste diurno, matutino, com bacharelado em verão chuvoso), chamado João Bom-Senso, resolveu dizer que o problema era muito fácil de ser resolvido – bastava, primeiramente, matar o porco escolhido, limpando e cortando adequadamente o animal, colocando-o então sobre uma armação metálica sobre brasas, até que o efeito do calor – e não as chamas – assasse a carne.

Tendo sido informado sobre as idéias do funcionário, o Diretor Geral de Assamento mandou chamá-lo ao seu gabinete, e depois de ouvi-lo pacientemente, disse-lhe:

Tudo o que o senhor disse está muito bem, mas não funciona na prática. O que o senhor faria, por exemplo, com os anemotécnicos, caso viéssemos a aplicar a sua teoria? Onde seria empregado todo o conhecimento dos acendedores de diversas especialidades?

Não sei – disse João!

E os especialistas em sementes? Em árvores importadas? E os desenhistas de instalações para porcos, com suas máquinas purificadores automáticas de ar?

Não sei!

E os anemotécnicos que levaram anos especializando-se no exterior, e cuja formação custou tanto dinheiro ao país? Vou mandá-los limpar porquinhos? E os conferencistas e estudiosos, que ano após ano têm trabalhado no Programa de Reforma e Melhoramentos? Que faço com eles, se a sua solução resolver tudo? Heim?

Não sei – repetiu João encabulado!

O senhor percebe agora que a sua idéia não vem ao encontro daquilo de que necessitamos? O senhor não vê, que, se tudo fosse tão simples, nossos especialistas já teriam encontrado a solução há muito tempo atrás? O senhor com certeza compreende que eu não posso simplesmente convocar os anemotécnicos e dizer-lhes que tudo se resume a utilizar brasinhas, sem chamas! O que o senhor espera que eu faça com os quilômetros e quilômetros de bosques já preparados, cujas árvores não dão frutos e nem têm folhas para dar sombra? Vamos, diga-me.

Não sei, não senhor!

Diga-me, nossos três engenheiros em Porcopirotecnia, o senhor não considera que sejam personalidades científicas do mais extraordinário valor?

Sim, parece que sim!

Pois então. O simples fato de possuirmos valiosos engenheiros em Porcopirotecnia indica que nosso sistema é muito bom. O que eu faria com indivíduos tão importantes para o país?

Não sei!

Viu? O senhor tem que trazer soluções para certos problemas específicos – por exemplo, como melhorar as anemotécnicas atualmente utilizadas, como obter mais rapidamente acendedores de Oeste (nossa maior carência), como construir instalações para porcos com mais de sete andares. Temos que melhorar o sistema, e não transformá-lo radicalmente, o senhor, entende? Ao senhor, falta-lhe sensatez!

Realmente, eu estou perplexo! – respondeu João.

Bem, agora que o senhor conhece as dimensões do problema, não saia dizendo por aí que pode resolver tudo. O problema é bem mais sério e complexo do que o senhor imagina. Agora, entre nós, devo recomendar-lhe que não insista nessa sua idéia – isso poderia trazer problemas para o senhor no seu cargo. Não por mim, o senhor entende. Eu falo isso para o seu próprio bem, porque eu o compreendo, entendo perfeitamente o seu posicionamento, mas o senhor sabe que pode encontrar outro superior menos compreensivo, não é mesmo?

João Bom-Senso, coitado, não falou mais um “a”. Sem despedir-se, meio atordoado, meio assustado com a sua sensação de estar caminhando de cabeça para baixo, saiu de fininho e ninguém nunca mais o viu. Por isso é que até hoje quando se faz uma reunião para melhoria do SISTEMA se diz que falta o Bom-Senso.

 

Nesta fábula o autor satiriza com sutileza um dos maiores problemas existentes nos dias de hoje nas organizações: a burocracia e o conflito de interesses de pessoas ou grupos de pessoas, como fortes obstáculos para encontrar soluções que permitam a elas aumentar a eficácia na execução de suas missões.

A “Fábula de los cerdos asados”, de Gustavo F. J. Cirigliano, foi publicada originalmente na revista Cátedra y Vida, Buenos Aires, 1959.

E Que venha 2012, Contagem regressiva

Pois é mais um ano se passa, e é bom relembrar e fazer um balanço, pra mim foi um ano de muita mudança por aqui.

Entre as várias coisas que me aconteceram foi o des-casamento e re-casamento e a bagunça causada por isso, não é Alice ( Ainda na crescendo na barriga da Samira)…

Entrei pro curso de Engenharia Mecânica seguido pelo meu amigo Andre Luis (www.alsmoreira.com.br), e incrível, me dei bem com o curso, mudei de endereço, Parei de lutar (será????).

Foi um ano de conclusão de alguns projetos,

e inicio de outros, http://amcollucci.com.br/ead

Outros ainda ficaram inacabados http://amcollucci.com.br/2011/08/16/montagem-dobsoniana-sem-acabamento-3/ (juro to tentando terminar ele)

Ainda conheci e criei novos amigos! (Nadesda, Wesley, Raphael, Stefany, Isaac, Gabriele, Mixirica…. Puxa toda a turma de Engenharia rsrsr, ficou mais fácil né!) Pessoal da Faseh (Lucas Viana, Dinho Reis, Carlos Godinho) Pessoal que só vejo no Facebook (Diane Caroline)…

Rômulo e Ademir - Feira de Profissões Anhanguera
Rômulo e Ademir - Feira de Profissões Anhanguera

Tive o privilégio de matar a saudade velhos amigos, @rosisilvaap que num via a anos, Lembrar os bons tempos de jogatina num rpg com @vaojogar,@rodrigorfnet,@Tihdragaozinho. Revi também o Glauber Porto, Pollyana Marossis e Plínio Devanier, amigos da finada infórium (inférnium)..

E aprender e me divertir muito, muito mesmo!

E 2012?

São tantos os projetos pra 2012 que ficaria perdido! Mas aqui vão os meus objetivos para 2012!

– Babar minha filha… ( =] o foda serão as fraldas…. )

– Começar a trabalhar com Mecânica

– Sair ileso do 3° e 4° semestre de engenharia

– Concluir meu projeto de pesquisa

– Ir a marte… (tá bom esse pode ficar pra 2013)

– Colocar os cursos de Arduino, Pic, Linguagem C e Linux no ar.

– Construir um aeromodelo (importante senão o Rômulo me bate)

– Colocar um Balão atmosférico no ar! ( estilo isso aqui http://www.redecol.com.br/2011/05/balao-atmosferico-mais-de-30-mil-metros.html)

– Sobreviver ao fim do mundo em 2012!!!!!!!!!

Bom então que venha 2012 contagem regressiva!!!!

O que vem por aí?

Estou com preguiça sem tempo de atualizar o site, hoje criei coragem tive um tempo de dar uma passada por aqui para mecher com algumas coisas.

Resolvi revisar alguns posts, que estão com a qualidade ruim, e mudar pela milésima vez o layout do site. Bom e o que vem por aí? Um dos motivos de eu ter ficado sem tempo foram alguns projetos que eu me envolvi e que gostaria de mostrar a vocês leitores e visitantes ocasionais…

Um e o braço mecânico que meu grupo e eu desenvolvemos e que vocês podem conferir logo abaixo!

O outro e um projeto que ainda vou desenvolver, e um robo seguidor de linha para disputar a Winter Challenge!

Winter Challenge 20011

Desde ontem o Fabio (“Trolinha”) passou a integrar a equipe, que agora passou a ser uma “dupla de dois”, mais detalhes do evento e do nosso robot vocês poderão conferir nesse mesmo blog, só não sei ainda em que bat-canal, nem em que bat-horário.

Aguardem esse mês esse blog vai estar agitado!

6 Meses do Blog Entre um Byte e Outro

E com grande prazer que eu anuncio a sobrevivência desse blog pessoal por 6 meses. Em seu anivesário de 6 meses gostaria de fazer uma retrospectiva de tudo o que ja rolou aqui.

6 Meses do Blog

Hoje o Blog recebe uma média de 10 visitas por dia, o que não é lá grandes coisas, o que começou como um projeto para melhorar meus conhecimentos com linguagens web e cms, mais precisamente o PHP com o Word Press, acabou virando uma forma de lazer. Desde o Marco Zero do blog, já foram feitos 34 posts com esse, já tivemos 2 templates, e sua primeira reestruturação que vou falar logo adiante.

Esse blog poderia se chamar tambem ” Essa metamorfose ambulante” visto que sobreviveu a minha pretensão de mudar de carreira dentro de ti, depois de mudar de profissão, e até a ultima de me divorciar. Devido a isso criei um carinho especial com esse cantinho do mundo que tão pouca gente conhece mas onde eu exponho as minhas idéias sem vergonha, mesmo aquelas que são sem nexo, como o meu post mais sem noção do planeta sobre Mortes Naturais ou não.

A medida que o tempo foi passando o assunto desse blog se diversificou a ponto de eu tratar de tecnologia, como nos posts sobre o arduino, de ética e combate ao imperialismo, como no post sobre Julian Assange  e o Wikileaks, e até discorreu sobre aspectos de minha vida pessoal, resultado de jogos que eu curto etc. Pois o blog agora começa a seguir outro rumo, pois não sendo um organismo de vida própria esta atrelado a mim, e os temas deverão tratar mais de assuntos relacionados a Engenharia, principalmente engenharia mecânica.

Como estou sempre em constante mutação, deixei espaços abertos para que eu pudesse falar sobre outros temas como informática, eletrônica, entre outros que ainda ocupam parte da minha vida, mas esses temas deverão escassear a medida que eu mesmo for me dedicando menos a essas coisas.

Bom o Blog tambem precisa evoluir, resolvi que quero uma média de 100 visitas diárias daqui a três meses, por isso vou ter que trabalhar bastante nele daqui por diante. As experiências que eu fizer eu irei ir postando também para que outros blogueiros possam se orientar quando precisarem.

E o logotipo, essa é uma otima pergunta, com uma irmã Publicitária, com um cunhado que é designe, um ex-mulher que era desenhista porque cargas d’água esse blog ainda não tem um logotipo? Sinceramente não sei. Vou providenciar um e espero colocar ele ainda essa semana.

Bom um blog como qualquer organismo precisa de crescer, e esse será o objetivo desse blog nos próximos meses.

att,
Anthony Collucci

Biblioteca Pública de Belo Horizonte

Hoje fiz a minha carteira na Biblioteca Pública de Belo Horizonte, eu imaginei algo como um sebo, mas não a biblioteca e bem modernizada, com 5 minutos fiz minha carteirinha com código de barras. E com mais 5 achei o livro que queria em um terminal de auto atendimento eletrônico.

O Acervo da Biblioteca também e generoso, contive o desejo de pegar um livro de literatura, pois precisava estudar álgebra. O site da secretaria de cultura de MG descreve o horário de funcionamento e o que o leitor cadastrado tem direito, o que vai desde alugar livros a pesquisar na internet.

Para quem quiser fazer o cadastro é bem simples, é só levar:

Identidade

Comprovante de Residencia

R$3,00

Até mais!

Anthony Collucci

Novo Supercomputador do INPE

Para começar um ano uma boa notícia, o Brasil, tem um novo supercomputador, o briquedinho e do INPE, segue  abaixo a nota oficial:

Imagem Ilustrativa

Para aprimorar a qualidade das previsões meteorológicas e o desenvolvimento de cenários climáticos futuros globais e regionais, será inaugurado no dia 28 de dezembro (terça-feira) o novo supercomputador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Batizado de Tupã, o supercomputador é um modelo XT6 da Cray capaz de realizar 258 trilhões de cálculos por segundo. Adquirido com recursos do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), o Tupã está entre os mais poderosos supercomputadores do mundo para previsão de tempo e estudos em mudanças climáticas.

Instalado no INPE de Cachoeira Paulista (SP), atenderá aos centros de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) e de Ciência do Sistema Terrestre (CCST) do próprio instituto, além dos grupos de pesquisa, instituições e universidades integrantes da Rede Brasileira de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas (Rede CLIMA) do MCT, do Programa FAPESP de Pesquisa em Mudanças Climáticas Globais e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) para Mudanças Climáticas.

Cerimônia
Estarão presentes à cerimônia de inauguração, que começa às 11 horas em Cachoeira Paulista, o diretor do INPE, Gilberto Câmara; o secretário executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), Luiz Antonio Rodrigues Elias, representando o ministro Sergio Rezende; e o diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), Carlos Henrique de Brito Cruz.

Também comparecerão, entre outras autoridades e pesquisadores, Carlos Nobre, chefe do Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCST) do INPE e coordenador do Programa FAPESP de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas; Marcelo Enrique Seluchi, coordenador substituto do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do INPE, e Osvaldo Luiz Leal de Moraes, recentemente anunciado como próximo coordenador do CPTEC/INPE.

Tupã
O supercomputador Tupã entrará em plena operação no início de 2011 e permitirá ao INPE gerar previsões de tempo mais confiáveis, com maior prazo de antecedência e de melhor qualidade, ampliando o nível de detalhamento para 5 km na América do Sul e 20 km para todo o globo. Será possível prever ainda eventos extremos com boa confiabilidade, como chuvas intensas, secas, geadas, ondas de calor, entre outros. As previsões ambientais e de qualidade do ar também serão beneficiadas, gerando prognósticos de maior resolução, de 15 quilômetros, com até seis dias de antecedência.

A nova máquina também será fundamental para o desenvolvimento e implementação do Modelo Brasileiro do Sistema Climático Global, que incorporará todos os elementos do Sistema Terrestre (atmosfera, oceanos, criosfera, vegetação, ciclos biogeoquímicos, etc), suas interações e como este sistema está sendo perturbado por ações antropogênicas (por exemplo, emissões de gases de efeito estufa, mudanças na vegetação, urbanização, etc.). Este esforço envolve um grande número de pesquisadores do Brasil e do exterior, provenientes de diversas instituições, o que se constitui num projeto interdisciplinar de desenvolvimento de modelagem climática sem precedentes entre países em desenvolvimento.

Segue Link: http://www.inpe.br/noticias/noticia.php?Cod_Noticia=2403